Carregando...
Carregando...

Um apelo por igrejas simples

Postado em 10 de Julho de 2019 ás 18:34

A necessidade na Zâmbia por lugares de adoração

 

 

Pastor Harrington Akombwa é uma das poucas pessoas de fora que nunca pôs os pés na aldeia de Mata, na Zâmbia. “Ela é tão remota, o pastor só visita uma vez a cada cinco anos”, diz ele. O pequeno povoado fica a centenas de quilômetros da cidade mais próxima e leva pelo menos quatro horas com um carro 4×4 através da areia para chegar em Mata. Mas muitos pastores não têm qualquer tipo de carro. “Com carro de boi leva quatro dias. Um pastor que andou essa distância … quando ele voltou seu pé estava despelando “, diz Akombwa, presidente do Associação da Igreja Adventista do Sétimo Dia na Zambia.

Akombwa visitou Mata recentemente, em um comisso eleitoral. Quando está por lá, ele tenta sair e visitar o maior número de igrejas zambianas possíveis, para que eles saibam que não estão esquecidos. Mas não é fácil. Zâmbia tem quase 6.000 congregações reunidas todos os sábados. Mais da metade dessas congregações são “pequenos grupos” e não igrejas. “É porque eles não têm condições financeiras”, diz Akombwa.

As congregações precisam de um prédio próprio para serem consideradas uma igreja. Muitos não têm dinheiro para fornecer um edifício adequado para um grupo grande de 75 ou mais pessoas. Maranatha já está envolvida no fornecimento de igrejas e  escolas  na Zâmbia e orando pelos fundos para fazer ainda mais.

Akombwa chegou à Mata com outros quatro representantes da igreja e encontrou um grupo de crentes a espera.

Alguns deles estavam esperando por dois anos para serem batizados. Durante a visita pastoral, ainda mais pessoas se decidiram pelo batismo. Um homem andou um quilômetro de muletas para ver o batismo.

“Eu quero ver!”, Disse. “Toda a minha vida eu vivi aqui. Existe apenas uma igreja aqui – a primeira Igreja Apostólica. … Estamos com eles, porque é a única igreja que conhecemos. ”

O pequeno grupo de Akombwa tinha planejado voltar para a cidade na mesma noite após a visita, mas não foi possível. Eles dormiam lá em Mata, embora as pessoas eram pobres demais até mesmo para oferecer-lhes água para um banho.

Existem muitas congregações como esta no norte, leste e oeste da Zâmbia. Há ainda lugares onde nenhum adventista chegou. Aldeias que só são acessíveis por condução de um veículo potente,  dirigindo oito ou mais horas por meio de areia macia. É para aldeias remotas como estas que Akombwa implora por igrejas simples. Ele descreve muitas igreja da vila como “espalhando lama na madeira para fazer parede” Estas congregações tem em media mais de 75 membros cada.

“Nós gostaríamos de ver uma nova Zâmbia, onde eles tenham um teto sobre suas cabeças e paredes acabadas. Isso virá como uma resposta à oração “, diz Akombwa.

Algumas das orações de Akwomba já foram respondidas. O grupo da Maranatha vive e trabalha nos difíceis campos arenosos e desgastantes. Em outra longa viagem pelo norte da Zâmbia, Akwombwa avistou três diferentes estruturas de igreja de Um Dia. Ele está orando por muito, muito mais.

Funcionários da União da Zâmbia pediram para Maranatha construir 1.900 igrejas e 200 escolas na Zâmbia. Maranatha ainda não determinou o quanto vamos construir no país, mas já começamos a trabalhar nas primeiras 120 igrejas. O alcance do que podemos fazer depende de doadores como você. Quantas dessas pessoas nós podemos ajudar?

Contribua com a Rádio Advento, será maravilhoso também!